Projeto de quintal interativo une o ornamental e o sustentável

Sustentabilidade é a palavra do momento. E nesse projeto, ela chegou ao quintal de casa.  O espaço “Quintal de Compostagem”, que faz parte da Mostra de jardinagem e paisagismo “Minha Casa Meu Jardim” na 30ª edição da Expoflora, reúne cantinhos aconchegantes, alamedas, árvores frutíferas, horta de temperos, fonte, orquidário e composteiras.

Idealizado por uma equipe de cinco profissionais (as arquitetas e paisagistas Claudia Pantalena, Joyce Benetazzo e Giovana Bombonatti e Maria Angélica Gonçalves Pereira Pantalena e o engenheiro agrônomo João Corbett), o projeto segue o tema da Mostra de “conhecer, plantar e preservar as árvores” e coloca lado a lado, o ornamental e o sustentável, de uma maneira interativa e ao mesmo tempo divertida.

Além de se tornar um local convidativo com móveis de madeira e ferro (Garden & House), o espaço incentiva o cultivo. Para isso, as ferramentas de jardinagem ficam estrategicamente armazenadas em um armário de madeira reciclada no próprio jardim, sempre a mão para transformar o trabalho de cultivo em hobby e lazer.

Árvores como as duas espécies de Ficus (Triangularis e Nerifolia), já existentes no local da Mostra, garantem a sombra e dividem o espaço com as de pequeno porte que formam uma alameda e com os bonsais de tamarindo, goiaba, pitanga e romã, que formam um tipo de pomar adaptado em vasos. No quintal tem ainda uma horta com ervas aromáticas e plantas medicinais (fornecidos pela Interflora) plantadas em vasos de folhas de bananeiras, fixados na parede. Folhagens e um pequeno orquidário completam ambiente. “Nesse projeto quisemos mostrar também que até em uma varanda de apartamento é possível ter frutos, temperos e ervas medicinais, adaptando nas devidas proporções” explica a arquiteta e paisagista Claudia Pantalena.

O local tem duas caixas de madeiras montadas para compostagem dos resíduos, como folhas e galhos. “Diferente do que algumas pessoas pensam esse tipo de processo, que resulta em adubo orgânico para as plantas, não tem cheiro e as caixas podem perfeitamente compor a decoração do local” explica o engenheiro agrônomo João Corbett.  

O intuito do projeto também é mostrar que seja qual for o tamanho do espaço é possível criar vários ambientes com diversas funções.

O local reúne espaços aconchegantes para todos os gostos. Banco para ler, barulho de água da fonte para relaxar, cultivo de horta, pomar e ainda a possibilidade de prestar atenção nos ciclos da natureza e fazer dele o devido uso.

O “Quintal de Compostagem” mostra uma maneira inteligente de manter um jardim sempre bonito, vivo, em todas as estações do ano, criando uma interação agradável, saudável e sustentável com toda a família.

Sobre Compostagem:
A compostagem é um processo biológico onde microrganismos e insetos decompõem a matéria orgânica em uma substância homogênea, de cor castanha, com aspecto de terra e com cheiro característico, chamado composto.

Na compostagem são reciclados resíduos vegetais do jardim, quintal ou horta que teriam seu destino final em um aterro sanitário nada produtivo. Ao montar um processo de compostagem se recicla o material orgânico e com ele se produz um fertilizante natural que, além de não poluir o solo serve para adubar as plantas da casa fazendo-as crescer ainda mais saudáveis.

Para montar uma composteira como a do “Quintal de Compostagem”:
• Montar uma ou duas caixas de madeira bem ventiladas, direto na terra em local sombrio. Deixe um lado livre para facilitar o acesso do manuseio. O tamanho da caixa dependerá da quantidade de resíduos do jardim ou quintal;
• Quando a caixa estiver pronta, é hora de colocar os resíduos (folhas de galhos);
• Reduzir o tamanho dos galhos ou filhas grandes picando ou rasgando;
• Primeiro colocar o material mais graúdo como as podas das cercas vivas devidamente picadas;
• Depois colocar o material menor como gramas e folhas picadinhas;
• Prosseguir intercalando estes dois materiais e se necessário umedeça o material a medida de for formando a pilha;
• Misturar e remover a pilha no 4º, 8º, 12º, 20º e 30º dia, umedecendo se houver necessidade;
• Para se obter um processo de compostagem mais rápido, não misturar
material novo a uma pilha já em processo adiantado de fermentação;
• Após 90 ou 120 dias o composto já está pronto para uso.
Observação:
No caso de um processo de Compostagem mais lento, pode-se acrescentar material novo, sempre na mistura de marrons- galhos e verdes – folhas e manter a pilha sempre úmida. Desta forma a compostagem estará pronta em mais ou menos um ano. Quando precisar de fertilizante utilize primeiro o material que está mais ao fundo. 

Serviço:
Quintal de Compostagem
localização: Espaço 7
Mostra de Paisagismo e Jardinagem – Minha Casa Meu Jardim
30ª Expoflora
De 1 a 25 de setembro de 2011
De quinta a domingo das 9 às 19 horas
Localização: Holambra, SP 340, rodovia Campinas-Mogi Mirim, saída 140.
Na bilheteria, os ingressos custarão R$ 28,00. Crianças de até cinco anos de idade, acompanhadas dos pais ou responsáveis, não pagam.
Informações: (19) 3817-2228 ou 3802-1421 e pelo e-mail contato@expoflora.com.br

Sobre a Mostra “Minha Casa Meu Jardim”
Entre as novidades estão a possibilidade de replantio de grandes árvores e as estrelas da jardinagem dessa edição, como a Rosa do Deserto e os charmosos canteiros de trevos de quatro folhas. Na sustentabilidade, destaque para o trabalho de compostagem com a utilização de adubo reciclado dos resíduos gerados pelo próprio jardim, e para os curiosos lustres feitos com coadores de papel e móveis variados feitos de pallets. Esse ano a mostra conta com a participação especial de Harri Lorenzi, uma das maiores autoridades em identificação e cultivo de plantas do Brasil.

São 22 ambientes projetados por 42 profissionais, entre paisagistas, arquitetos, decoradores e designers de exteriores, de São Paulo, Campinas, Holambra, Vinhedo, Mogi Mirim, Mogi Guaçu, Nova Odessa e Santana do Paranaíba. Cerca de 150 empresas participam diretamente da Mostra que gerou aproximadamente 250 vagas de trabalho na montagem, desmontagem e na realização do evento.

Organizada pelo casal Ana Rita Gimenes e Ralph Dekker, da Floral Design Brasil, centro de formação internacional para floristas, localizada em Holambra, a mostra conta com a participação especial uma das maiores autoridades em identificação e cultivo de plantas do Brasil, Harri Lorenzi, do Instituto Plantarum de Estudos da Flora, autor de diversos livros sobre plantas e árvores brasileiras e exóticas. Sua colaboração com os estudos da flora brasileira é espetacular.



-->