Quarteto Brasileiro de Violões lança no Masp CD indicado ao Grammy

No ano em que comemora onze anos de sua trajetória internacional, o Quarteto Brasileiro de Violões tem seu CD, uma homenagem a Villa–Lobos, indicado para o Grammy Latino 2011 como melhor álbum de música clássica. O concerto de lançamento do álbum Brazilian Guitar Plays Villa-Lobos (2011 – Delos Music), em São Paulo, será no auditório do Masp, no sábado dia 29 de outubro.

Formado pelos violonistas Everton Gloeden, Tadeu do Amaral, Luiz Mantovani e Gustavo Costa, o quarteto foi criado em 1998, e em 2000 teve a oportunidade de mostrar seu trabalho no exterior. O sucesso foi tanto que já somam mais de trezentos concertos por países das Américas, Europa, Ásia e Oceania nos quais apresentou seus inusitados arranjos e sua instrumentação que une o som dos violões de oito cordas aos tradicionais de seis. Por conta disso, o grupo ficou mais conhecido como Brazilian Guitar Quartet.  

“Ficamos muito surpresos com a indicação ao Grammy Latino, tanto que isso para nós já é considerado o prêmio”, comemora Tadeu Amaral, responsável pelos arranjos do quarteto.

O álbum indicado ao Grammy é o primeiro que o quarteto dedica inteiramente a um compositor. No repertório, algumas de suas obras-primas de Heitor Villa-Lobos, que mostram a genialidade do compositor que une a música popular e a folclórica à música erudita.

Gravado na Helen Filene Ladd Concert Hall/Arthur Zankel Music Center (Skidmore College, Saratoga Springs, NY), o CD foi produzido pelo próprio quarteto e têm em sua instrumentação Everton Gloeden e Luiz Mantovani (oito cordas) e Tadeu do Amaral e Gustavo Costa (seis cordas).

O CD que homenageia Villa-Lobos é o quinto na discografia do Quarteto na qual três deles são dedicados à música brasileira: Essência do Brasil (2000) Encantamento (2002) e o recém lançado Brazilian Guitar Quartet plays Villa-Lobos (2011). Os outros dois contemplam arranjos inéditos de duas grandes obras do repertório universal, as 4 Suites Orquestrais de Bach (2001), e a Suite Ibéria, de Isaac Albéniz (2006). Todos levam o selo norte-americano Delos.
O Quarteto que tem como formação a música clássica é considerado no exterior como um dos principais grupos do gênero da atualidade. Suas pesquisas são voltadas para a música clássica brasileira, que representa um segmento importante explorado pelo grupo na montagem de um repertório pouco conhecido, de alto nível e que se identifica com o estilo do quarteto. 

Pelo Quarteto Brasileiro de Violões, já passaram grandes músicos como: Paul Galbraith e Edelton Gloeden, criadores do quarteto junto com Everton e Tadeu; e ainda Nicolas Barros, Paulo Porto Alegre, Clemer Andreotti e Edson Lopes.

O novo CD já está à venda na sala São Paulo e pela Amazon (álbum e MP3) e também será vendido no MASP no dia do concerto.

ouça algumas músicas:

A Canoa Virou 

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

A Procura de uma Agulha 

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Terezinha de Jesus   

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Suíte Floral  – Idílio na Rede

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Serviço:

Concerto Quarteto Brasileiro de Violões
Lançamento do CD “Brazilian Guitar Quartet Plays Villa-Lobos”, (indicado ao Grammy Latino 2011)
Quando: sábado, dia 29 de outubro, às 20h30
Local: Grande Auditório do MASP (364 lugares)
endereço: Av. Paulista, 1578 – Cerqueira César – Telefone 3251-5644
Ingressos: R$ 30,00 e R$ 15,00 (para estudantes e maiores de 60 anos)
Estacionamento conveniado: Av. Paulista, 1636 *entrando pelo elevador no térreo.

Mais sobre o Quarteto Brasileiro de Violões

O Quarteto Brasileiro de Violões foi destaque no 92 Street “Y” e Metropolitan Musem em Nova York, Spivey Hall em Atlanta, Beethovensaal em Hannover, Vancouver Playhouse no Canadá, Dumbarton Concerts e National Gallery em Washington, DC, Chamber Music Albuquerque, Shriver Hall em Baltimore, San Luis Obispo Mozart Festival, Round Top International Festival, Hong Kong International Arts Festival, Carmel Bach Festival, Felicja Blumental International Music Festival em Israel, Musica Mundi Festival na Bélgica, Festival Internacional de Guitarra de Monterrey no México, Mosel Festwöchen na Alemanha e Adelaide International Guitar Festival na Austrália, além de freqüentes apresentações e gravações para a NPR – National Public Radio em Washington, DC e Houston.

Foi um dos convidados principais do Congresso Internacional de Violão de Baltimore, que reuniu alguns dos maiores nomes do violão mundial. Na ocasião, solou com a Baltimore Symphony o Concerto para Quatro Violões e Orquestra do compositor brasileiro Ronaldo Miranda, especialmente encomendado para este evento. Em 2006, o Quarteto realizou a estréia brasileira desta peça com a Petrobrás Sinfônica, no Rio de Janeiro.

www.brazilianguitarquartet.com

Sobre os músicos

 Everton Gloeden

Natural da cidade de São Paulo, onde estudou com Roberto dalla Vechia, Sidney Zaghetto, Henrique Pinto, Alvaro Pierri, Abel Carlevaro, Guido Santorsola, Sergio Cominatto, Michel Philippot e Isabel Sampaio.

Ao longo de uma carreira de 30 anos, tem se apresentado como solista e camerista ao lado de alguns dos mais importantes músicos brasileiros e estrangeiros. Apresentou-se no Salão das Américas, em Washington, DC e realizou a primeira audição brasileira da obra completa de Bach para alaúde, bem como recitais na Inglaterra, Alemanha (incluindo a Ópera de Frankfurt) e um recital de abertura no Festival Internacional de Guitarra de Caracas, na Venezuela, um dos mais conceituados do gênero no mundo.

Escreveu e apresentou a série “6 Cordas – Panorama do Violão no Século XX” para a Rádio Cultura FM de São Paulo, uma das mais importantes estações de rádio de música clássica da América Latina.

Seus álbuns incluem um disco de música latino-americana para violão para a OEA, uma gravação da obra completa de Bach para alaúde e um CD que inclui as Variações sobre Folia de Espanha de Ponce, a Sonata de Antonio José e as “Due Canzone Lidie” de Nuccio D’Angelo, para o selo brasileiro EGTA.

Gustavo Costa

Nascido em 1976 ingressou no Instituto de Artes da UNESP em 1994, onde estudou sob a orientação da violonista Gisela Nogueira até 1998. No mesmo ano, foi convidado por Franz Hálasz a especializar-se em violão na Hochschule für Musik Nürnberg-Augsburg (Alemanha), onde estudou até 2001. Durante este período foi bolsista do KAAD e obteve dois diplomas: o Diplommusiker e o Meisterklassendiplom, a mais elevada titulação em performance daquele país. Ainda em 2001 seguiu para França, onde estudou até 2004 na classe de Pablo Márquez, no Conservatório de Estrasburgo. Desde 2007 é mestre em musicologia pela ECA – USP e professor de violão da mesma universidade, no Departamento de Música de Ribeirão Preto.

Foi premiado em concursos de interpretação no Brasil e na França, e obteve o segundo prêmio em dois dos mais prestigiados concursos internacionais da Espanha, o XXIV Certamen Internacional de Guitarra Andrés Segovia (2008, 2009 e 2010) e o XXXVII Certamen Internacional de Guitarra Francisco Tárrega (2003), onde recebeu também o prêmio votado pelo público. Como camerista, tem atuado em formações diversas, como no Ensemble Mentemanuque, dedicado à performance de música contemporânea, e em duo com o violinista Cláudio Cruz e o soprano Yuka de Almeida Prado. Como solista, atuou frente à Orquestra Filarmônica de Estrasburgo (França), Orquestra Ciudad de Torrent (Espanha), Orquestra Sinfônica de Molise (Itália), Orquestra do Estado de São Paulo (OSESP), Orquestra Sinfônica da USP, Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, Orquestra Sinfônica de Limeira e Orquestra Petrobrás Sinfônica.

Tadeu do Amaral

Nascido em São Paulo, iniciou seus estudos de violão com Vital Medeiros. Posteriormente estudou com Isaías Sávio e Léo Soares. Além das aulas de harmonia e contraponto com Theodoro Nogueira e história da música com Marília Pini, teve a oportunidade de participar de cursos com os compositores Cláudio Santoro e Alberto Ginastera.

Paralelo à sua carreira solo, que inclui recitais em todo Brasil e a produção de dois CDs – “Música Espanhola” e “Manuel Ponce” – Tadeu do Amaral atua na área de produção, direção e edição de projetos de gravação, com destaque para a “Série Grandes Violonistas” pelo selo EGTA, “História da Música Brasileira” e “América Portuguesa”.

Após transferir residência para Blumenau/Santa Catarina em 1989, promoveu várias atividades ligadas ao violão, todas direcionadas para a divulgação do instrumento e sobretudo para a formação do instrumentista. Nesse período trabalhou também junto à FURB – Fundação Universidade Regional de Blumenau, e apresentou vários projetos de repertório; entre eles, as obras completas de Bach para alaúde e do compositor polonês Alexandre Tansman.

Como professor, sempre incentivou a prática de música de câmara entre seus alunos, iniciando desde então uma atividade que permanece até os dias de hoje: a de arranjador. Atualmente, além de integrante/fundador, é o principal arranjador do Quarteto Brasileiro de Violões.

Luiz Mantovani

Vencedor do prestigiado Pro Musicis International Award em 2001, o violonista brasileiro Luiz Mantovani tem se apresentado regularmente como solista e camerista em algumas das mais importantes salas de concerto nacionais e internacionais. Suas diversas premiações incluem a primeira colocação no Concurso para Solistas da Boston Modern Orchestra (EUA, 2001), a segunda colocação na Schadt String Competition (Pennsylvania, EUA, 1999) e a segunda colocação no Concurso Talentos Rádio MEC (Rio de Janeiro, 1997).

Sua execução das Cinco Bagatelas de William Walton na Weill Recital Hall/Carnegie Hall em Nova York foi descrita pelo The New York Times como “poderosa, belamente delineada e praticamente impecável”. Como solista de orquestra, apresentou-se frente à Orquestra Sinfônica da Nova Rússia, Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Israel Sinfonietta, Orquestra Petrobrás Sinfônica e Camerata Florianópolis, entre outras. Desenvolvendo uma intensa atividade como camerista, desde 2004 Mantovani é membro do Quarteto Brasileiro de Violões, um dos mais respeitados conjuntos violonísticos da atualidade, com quem excursiona regularmente por quatro continentes e com quem gravou dois CDs pelo selo norte-americano Delos.

Luiz Mantovani possui um Artist Diploma pelo New England Conservatory of Music, em Boston. Ele foi o primeiro violonista admitido neste que é o mais prestigiado curso oferecido por esta instituição. Como bolsista do programa Apartes/CAPES, Mantovani obteve em 2000 o grau de Mestre em Música com distinção máxima, também pelo New England Conservatory. No Brasil, formou-se Bacharel em Música em 1997 pela Universidade do Rio de Janeiro – UNI-RIO. Seus principais professores de violão foram David Leisner, Nicolas Barros e Antônio Guedes.

Paralelamente à carreira de instrumentista, Luiz Mantovani é professor de violão e música de câmara da Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC em Florianópolis, onde reside desde 2003.



-->