Exposição coletiva reúne caligrafia moderna e poesia em diferentes formatos


No dia 18 de maio, quarta-feira, das 19h às 23h, Pedro Gabriel - Eu Me Chamo Antonio (@eumechamoantonio); Pedro Cordeiro - Um Cartão (@umcartao); Lucas Brandão - Blog do Lucão (@blogdolucao); Fábio Maca (@fabiomaca) e Alessandro Novello - Letras Garrafais (@letrasgarrafais) estarão presentes na exposição Poesia & Caligrafia, que reúne dez peças de cada um destes artistas, inspiradores das redes sociais. A mostra, que segue até 18 de junho, acontece na galeria da Urban Arts Campinas, localizada à Rua Emílio Ribas, 906 – Cambuí, Campinas/SP. Na festa de lançamento haverá food trucks, DJ e sorteios de uma obra de cada artista autografada.

Quem é assíduo nas redes sociais conhece. Cada um dos cinco artistas tem uma história pessoal que o inspirou a desabafar por meio da escrita em guardanapos, garrafas, cartões, canecas, cadernos ou somente no meio virtual.

Eles buscaram formatos variados para se expressarem mas todos têm em comum a poesia e a caligrafia moderna. E foi no Instagram que suas inspirações foram propagadas. Atualmente, as cinco páginas somam milhares de seguidores e compartilhamentos.

Pedro Gabriel, do “Eu me Chamo Antônio”, nasceu na África, filho de mãe brasileira e pai suíço, e foi alfabetizado em francês. Quando veio para o Brasil, aos 12 anos, por causa da dificuldade na adaptação ao idioma, começou a prestar mais atenção na grafia e na sonoridade das palavras, a brincar com elas, para tentar entendê-las. Em 2012, inaugurou a página Eu me Chamo Antônio, no Instagram, para compartilhar o que rabiscava com caneta hidrográfica em guardanapos, nas noites em que batia ponto no Café Lamas, um dos bares mais tradicionais do Rio de Janeiro.

Já o projeto “Letras Garrafais”, do artista Alessandro Novello é definido pelo próprio como poesia urbana. Ele utiliza como suporte a escrita, a caligrafia, a cidade como cenário e a fotografia. Reproduz textos e artes de própria autoria em garrafas reaproveitadas, arremata com uma flor e as deixa em locais estratégicos da cidade para quem quiser delas se apoderar. Em um ano já entregou, sem saber a quem, mais de 300 garrafas.

As letras por detrás do “Um Cartão” são de Pedro Cordeiro, um advogado carioca de 26 anos. A ideia dos cartões veio da necessidade de condensar as palavras, sem reduzir os sentimentos. Seus cartões passaram a ser compartilhados com as pessoas e com o sucesso aos poucos foram surgindo outros produtos como canecas, o Caderno de Sentimentos e as Notas de Amor.

Lucas Cândido Brandão (Lucão) é o autor do “Abra o Bico – o blog do Lucão” – que foi criado pelo publicitário goiano por causa da excessiva timidez que tinha para se comunicar. Com essa ferramenta ele começou a expor suas ideias e expressar seus sentimentos em forma de prosa e verso. Após dez anos de blog, Lucão conquistou muitos seguidores em suas redes sociais, seu Instagram, por exemplo, é seguido por mais de  200 mil pessoas.

Um calígrafo que arrisca poetizar, assim se descreve “Fábio Maca”. Ele faz da caligrafia artística sua linguagem. Junto a esta visão há uma missão de colocar mais letras na vida das pessoas. Nesse sentido, mantém um Instagram ativo com centenas de frases inspiradoras. Cria letterings para tatuagem, quadros e mantém a tradição de fazer convites de casamento.

Na noite de lançamento da mostra, na Urban Arts Campinas, eles estarão presentes para interagir com o público.

 

Sobre os artistas:

Pedro Gabriel – Eu me Chamo Antônio @eumechamoantonio

Pedro Antônio Gabriel Anhorn nasceu em N´Djamena (África) em 1984. Teve o privilégio de passar a da infância entre a capital do Chade e o arquipélago Cabo Verde. É filho de mãe brasileira e pai suíço, mas foi alfabetizado em francês. Sem saber falar português corretamente, chegou ao Brasil em 1996 com uma mala cheia de brinquedos e lembranças. Por causa da dificuldade na adaptação ao idioma, começou a prestar mais atenção na grafia e na sonoridade das palavras, a brincar com elas, para tentar entendê-las. Transformou esse distanciamento de 12 anos em poesia. Em 2012 inaugurou a página Eu me Chamo Antônio, no Instagram para compartilhar o que rabiscava em guardanapos com caneta hidrográfica em guardanapos nas noites em que batia ponto no Café Lamas, um dos bares mais tradicionais do Rio de Janeiro. Pedro Gabriel é publicitário, formado pela ESPM-RJ, e autor dos livros Eu me chamo Antônio (2013) e Segundo – Eu me chamo Antônio (2014), ambos publicados pela Editora Intrínseca.

 

Alessandro Novello - Letras Garrafais @letrasgarrafais

Publicitário autodidata, observador da cidade e admirador de pessoas. Começou a minha vida profissional entre tintas e pincéis, como cartazista de supermercado. Naquela época se considerava um especialista em caligrafia. Hoje, diz que é um entusiasta.

Trabalha na área de comunicação há mais de 25 anos, grande parte deste tempo dedicado à direção de arte. Atualmente, é diretor de criação em uma empresa de design e arquitetura promocional, em São Paulo.

O projeto Letras Garrafais veio da vontade de fazer algo que tivesse um impacto positivo nas pessoas. Ao mesmo tempo funciona como uma espécie de retribuição, agradecimento às coisas boas que são feitas e que nem sabemos, por pessoas que provavelmente jamais conheceremos. A iniciativa também surgiu como um meio pelo qual o artista expressa seus pensamentos, sem preocupação com a aceitação ou qualidade literária.

Antes da arte veio a intenção. Por isso escolheu a intervenção urbana, sempre quis que tudo acontecesse no mundo real. “Afinal, a vida acontece ao vivo e nas ruas”, conclui Alessandro.

Neste projeto, as redes sociais são somente as ferramentas de divulgação da ação e amplificação da mensagem.

 

Lucas Cândido Brandão - Blog do Lucão@blogdolucao

Em 2006, o publicitário goiano Lucas Cândido Brandão, dava seus primeiros passos na escrita. Motivado por um debate polêmico que assistiu na TV, e pela excessiva timidez que tinha, fundou seu site, no qual começou a expor suas ideias em forma de prosa e verso. Nascia, assim, o blog Abra o Bico, o nome veio da necessidade do autor de se soltar, expor sua visão e expressar seus sentimentos.

Após dez anos de blog, Lucão conquistou muitos seguidores em suas redes sociais, seu Instagram, por exemplo, tem mais de 300 mil seguidores.

É cada coisa que escrevo só para dizer que te amo (Benvirá) é o primeiro livro do escritor. A obra é uma junção de frases e versos inéditos – criados especialmente para o livro – com material já publicado no blog.

 

Fábio Piero Maca - @fabiomaca

Maca procura o resgate do handmade na era do ‘touch’, fazendo da caligrafia sua linguagem. A ela acrescenta um olhar de design, arte, moda, arquitetura e a da própria publicidade – onde atuou por 15 anos em grandes agências.

Junto a esta visão da caligrafia mais artística, há uma missão bem prática, na qual ele trabalha para ver mais letras na vida das pessoas. Nesse sentido, mantém um Instagram ativo com centenas de frases, cria letterings para tatuagem, quadros e faz (sim, com toda certeza) convites de casamento.

Além disso, é parceiro de grandes marcas na criação de produtos, ações e letterings para campanhas. Entre elas estão Tiffany, Salvatore Ferragamo, Kate Spade, Oppa, Etna, Natura, Escola São Paulo, 3M, Enjoei e Revista VIP entre outras.

 

Pedro Cordeiro – Um Cartão @umcartao

As letras por trás do “Um Cartão” são de um advogado carioca de 26 anos que queria ser promotor de justiça. A ideia surgiu da necessidade de condensar as palavras sem reduzir os sentimentos, porque, como sempre foi extenso nas coisas do coração, Pedro resolveu simplificar e transferir a interpretação, que antes era só dele, para as pessoas, para que elas pudessem enquadrar os cartões onde estes fizessem mais sentido.

Com quase dois anos de cartões espalhados pela internet, ele percebeu que, ao escrever, se desprendia das palavras e que quanto mais se dividia, mais se multiplicava em novos corações. E são muitos corações! Quase 3 mil novos se juntam ao time dos que acreditam que o amor pode e vai transformar tudo.

As palavras saíram do mundo virtual em novembro de 2015, a convite da Editora Rocco, e se transformaram em um livro com cartões serrilhados, que podem ser lidos como uma grande coleção de sentimentos ou destacados para que funcionem como instrumento de recuperação do contato físico e das interações pessoais.

Mas se engana quem acredita que as palavras se limitaram ao papel. O coração dele transbordou e ganhou as superfícies mais inusitadas. À medida que as pessoas iam pedindo, foram surgindo as Canecas Um cartão, com sentimentos escolhidos a dedo, o Caderno de Sentimentos, que é a reprodução fiel do caderno do Pedro e as Notas de Amor, que são pedacinhos de amor condensados em uma caderneta pensada nos mínimos detalhes para revelar gradativamente que o amor é e sempre vai ser tudo o que a gente precisa.

 

SOBRE A URBAN ARTS

A Urban Arts Campinas faz parte de uma rede de galerias que se tornou uma referência no mundo da arte digital e ilustração. Em 2011 abriu a primeira loja física, na Oscar Freire na cidade de São Paulo e de lá pra cá não parou mais. Hoje já são 16 lojas físicas, além do site, que não param de crescer. A rede Urban Arts tem, atualmente, mais de 1.000 artistas ativos, expondo seus trabalhos.

Rachel e Karla Bratfisch comandam a curadoria e administração da loja campineira que, além do formato diferenciado de vernissages com atrações musicais e gastronômicas, também apresenta agenda própria de eventos, com parcerias, exposições, Design Day, Pet Lovers e outros.

A Urban Arts é uma galeria de arte diferente das outras. Oferece essencialmente trabalhos digitais de artistas, designers e ilustradores de todo o mundo. O intuito é dar oportunidade para novos talentos, divulgando e incentivando a evolução de seus trabalhos.

Há dois anos na cidade, a galeria passou por reestruturações desde que mãe e filha assumiram o negócio, ao final de 2014. Além da recente reorganização da equipe, que desde janeiro conta com a arquiteta Lais de Luna como gerente, a proposta da Urban Arts Campinas também foi atualizada.

Link para acessar as fotos: https://www.dropbox.com/sh/wvgzdnttflmhi8c/AACmOxQ-Af-sap6-b3RGas13a?dl=0

* as fotos que não estiverem com crédito são de arquivos pessoais dos artistas.

Serviço:
Abertura da Mostra Coletiva Poesia & Caligrafia

Data: 18 de maio, quarta-feira
Horário: 19h
Local: Urban Arts Campinas
Endereço: Rua Emílio Ribas, 906 – Cambuí, Campinas/SP

A mostra segue até 18 de junho com visitação de segunda a sexta, das 10h às 19h e aos sábados das 9h30 às 17h

 

Informações para imprensa:
Claudia Corbett
claudia@claudiacorbett.com.br|

(19) 98961.2727

 



-->